BLOG

Espaço de conhecimento- IH - Impactos da pobreza no desenvolvimento cerebral

Espaço de conhecimento- IH - Impactos da pobreza no desenvolvimento cerebral

No início desse mês de abril, foram divulgados os dados referentes à situação da pobreza extrema no país, tendo sido observado um triste crescimento de 11% em relação ao ano anterior, atingindo quase 15 milhões de pessoas.

Grande parte da população que vive em extrema pobreza está na faixa etária de 0 a 14 anos de idade (aproximadamente 36% das pessoas), fato que diretamente impacta no crescimento e desenvolvimento dessas crianças e adolescentes. Tais impactos decorrentes da privação ocasionada pela situação de pobreza têm sido extensamente pesquisados na área de neurociência, evidenciando modificações no desenvolvimento cerebral. De acordo com tais achados, a privação decorrente da baixa renda está relacionada à menor estimulação cognitiva, uma vez que as crianças possuem limitado número de brinquedos, livros e oportunidades educacionais compatíveis com sua faixa etária, bem como exposição a menor número de palavras e de diálogos mais complexos. Tal ambiente de privação pode levar a alterações cerebrais em diversos níveis (moleculares, neurais, estruturais e funcionais) principalmente no córtex pré-frontal e em estruturas do Sistema Límbico, o que parece se relacionar, pelo menos em parte, a prejuízos na linguagem, memória, atenção e cognição. Por essa razão, o Instituto Humana já realizou palestras envolvendo o tema em várias Organizações da Sociedade Civil (OSC), como ABAN e Instituto Dom Orione, favorecendo assim a discussão sobre tão importante assunto na tentativa de elaborar estratégias para minimizar tais impactos. Caso tenha interesse em solicitar também uma palestra sobre o tema, entre em contato com o Instituto Humana através de sua página no endereço www.institutohumana.org.
Por Pâmela Souza- IH

Dicas de leitura:
NOBLE, K. G. et al. Family income, parental education and brain structure in children and adolescents. Nature Neuroscience, New York,v. 18, n. 5, p. 773778, May 2015.
WALKER, S. P. et al. Inequality in early childhood: risk and protective factors for early child development. Lancet, Oxford, v. 378, n. 9799, p. 1325–1338, Oct 2011.

Deixe seu comentário